ARTISTAS DE MARICÁ COBRAM O REPASSE DA LEI ALDIR BLANC
10/01/2021 09:15 em Notícia

ARTISTAS DE MARICÁ COBRAM O REPASSE DA LEI ALDIR BLANC

O ano de 2020 já se foi e com toda certeza não deixará saudade, mas 2021 já mostrou na primeira semana que as coisas não mudarão muito além do calendário, principalmente para os artistas que se inscreveram e foram contemplados para receberem o auxílio emergencial denomindado Lei Aldir Blanc, que previu ajuda de três a dez mil reais para diversos seguimentos da cultuira em todo o país. A previsão para liquidação desses pagamentos aos artistas seria inicialmente no último dia de dezembro (31), mas o prazo foi extendido até a última quinta-feira (7) após aprovação de um projeto de lei que visou permitir que aqueles proponentes que ainda estavam em pendência com as exigênias legais pudessem sanás-las a tempo de não ficarem de fora.

Mas, infelizmente, por razões diversas razões, vários municípios não conseguiram cumprir com as formalidades exaradas na lei e acabaram não repassando o dinheiro em tempo hábil prejudicando a já tão sofrida categoria. 

Em Maricá o repasse também não chegou às contas dos contemplados, o que acabou gerando uma mobilização da classe através das redes sociais, onde, cada artista à sua maneira, externou seu descontentamento com a falta de informações já que até a manhã de sábado (9) a secretaria de cultura ou qualquer outro representante do poder público haviam se pronunciado oficialmente para tranquilizar os artistas. A falta de previsibilidade e o receio de que a verba não esteja mais disponível foram a tônica dos questionamentos dos nossos ouvintes e dos artistas que participam desses grupos de Whatsapp, como o maior deles, Forum Cultural de Maricá que reúne centenas de pessoas.

No entanto, o secretário de cultura do município, Sady Bianchi, ontem (9), emitiu uma nota pessoal, através desses grupos nas redes sociais,  explicando que esteve em reunião com o vice-prefeiro Diego Zeidan e pediu agilidade nos trâmites de liberação. Disse ainda que continua diuturnamente com a sua equipe empenhando esforços para que todos percebam o dinheiro o mais breve possível. E também informou que uma cartilha contendo informações simplificadas da Lei Aldir Blanc está sendo preparada para que as principais dúvidas na aplicação da verba e sua prestação de contas sejam explicadas de forma simples e objetiva para que não haja mais desinformação no setor e para que nenhum dos contemplados venha a ter problemas na hora de se ver com a Receita Federal.

Portanto, como no dito popular "na luta entre o mar e o rochedo, o marisco é que toma porrada dos dois lados", só cabe esperar que o dinheiro empenhado vá o quanto antes para onde deve ir, visto que é um recurso emergencial e a demora excessiva não se coaduna com o objetivo da Lei Aldir Blanc. A categoria espera que a partir da nova gestão de quatro anos, a Secretaria de Cultura desenvolva planos e ações que tornem esses fazedores de cultura entes que consigam se sustentar e dependam cada vez menos de recursos estatais para proverem necessidades básicas e custeio dos seus espaços através do que fazem de melhor que é levar cultura e entretenimento para a população. 

REDAÇÃO: RUBENS RODRIGUES - RÁDIO RJ-106 DE MARICÁ

COMENTÁRIOS